sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

CONTANDO HISTÓRIAS - LÁ VEM ELA ! (por Evandro Jair Duarte)

Hoje ela resolveu vir muito cedo, mais que o habitual. Eram seis horas da manhã, horas cravadas em pontualidade, quando ela chegou. 

A danada chega e já tira o sossego de qualquer um, imagine o meu, já a desagradável veio me visitar e tão cedo! Não é fácil livrar-se dela.

A infeliz começa a infernizar e não para. Meu Deus! Quando que ela vai parar com tanta maldade? Tanto sofrimento que causa?

A minha cabeça já estava latejando. Eu sentia como se meu crânio inflasse e desinflasse, igual a um balão em boca de criança. A cada inflada latejava.

- Porque ela não vai embora? - pensei.

- Tenho que fazer alguma coisa e urgente! - presença mais incômoda. Droga.

Levantei e fui para o banho e nem dei bola para ela. 

Ahhhh, o banho, como ele relaxa e faz com que suas águas levem um pouco do cansaço e da fadiga corporal ...

Saio do banho e ela já começa a me mostrar que está ali ainda. Minha pátria amada Brasil (pra não dizer um palavrão eu disse isso em sussuro).

Finjo que não noto que ela continua a querer tirar minha paz e me arrumo.

Já pronto eu vou para a pia e bebo um copo de água e alguns comprimidos.

Passo um perfume e rumo para a rua, nem quero saber dela e o que ela irá fazer. A sua presença é extremamente desagradável e não ficarei com minha mente nela.

Caminho pela rua e percebo que ela, também, está. Mas, que coisa chata!

Acelero os passos. Estou quase me atrasando para o horário do trabalho. Não é que a danada me alcança e já enche minha cabeça? Fico com a cabeça leve e tonto, uma baita de uma pontada vai bem fundo e dói. Que desgraça é que sua presença para mim!

Chego no trabalho e a moça abre a porta para mim. Estamos trabalhando com expediente interno e só funcionários podem entrar. Ela fica lá fora, graças a Deus e vai ficar por muito tempo lá se quiser me infernizar, como eu acho que é o propósito dela, logo ela dará o seu jeito.

Estou trabalhando e eis que ela surge, desgraça!!!

Não aguento mais essa indesejada dor de cabeça que resolveu vir me visitar tão cedo e duas horas depois, de tanto desprezo, de tanto fugir dela, ela ainda não vai embora? Mas, já sei! Tenho um remédio poderoso aqui. 

Dessa vez me livro dessa indesejada dor de cabeça.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

FILME - 50 TONS DE CINZA








Não li o livro. 

Fui ao cinema para assistir ao filme, minha amiga me convidou e falou que era bom, legal. 

Decidi ir e conhecer a história. 

Sinceramente, o filme não me vende o livro. 

Ele não me faz ir atrás da história e verificar os detalhes e tentar descobrir o que vem por aí nos outros dois livros. 

Em minha cabeça está: que se dane a chata e sem sal da Anastasia e o Christian Grey.

Me perdoem os fãs. Mas, achei a história fraquinha. 

Parece um romance adolescente, só não pode ser considerado adolescente pelo excesso de cenas em que a Ana está nua e por causa da questão "sadomasoquismo" e das pancadas que ele propõe dar nela.

A mocinha é chata, sem sal - uma imitação da mais chata ainda Bela da Saga Crepúsculo.

Para quem curte um filme de romance curtir - a história da menina simples, que está toda ferrada fazendo faculdade e tem como meio de locomoção o seu carro capenga (um fusquinha) - após conhecer o mega empresário Christian Grey, que trabalha em um prédio em que se intitula "Grey House", tem uma coleção de carros, um helicóptero, anda de avião fretado, blá blá blá - ao se envolver com Sr. Grey ele manda vender o fusca velho e dá um mega carro vermelho de presente de formatura. Contos de fadas (mocinha pobre e o seu príncipe encantado). 

Só que o príncipe em questão deixa bem claro que não curte romance. 
Que não dorme na mesma cama com ninguém. 
Que não leva vida de casal normal. 
Ele tem um contrato longo com deveres para uma mulher extremamente submissa, para ele dominar a seu jeito.

Ela pede para ele mostrar o pior dele, dentro do jogo proposto e não aguenta o tranco, vai embora.

Fim.

OBS: sei que tem continuação e ele irá mudar muito do que ele é. Sei que ele tem problemas em sua infância. Mas, sei lá... não curti 100%. Diria que eu curti 50%, por ser um entretenimento legal. Não bom bom bom. É legal e ponto.

Boa sorte aos que se voluntariarem a ver o filme.
Eu deixaria para ver na tv.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

LIVRETANDO - NEGRINHO DO PASTOREIO (por Laiz B. Carvalho; Ilustrações [de] Weberson Santiago)

CARVALHO, Laiz B. Negrinho do pastoreio. História recontada por Laiz B. Carvalho. Ilustrações [de] Weberson Santiago. São Paulo: Folha de São Paulo, 20015. (Coleção Folha Folclore Brasileiro para crianças; v. 5)


Foto: Evandro Jair Duarte

A história do Negrinho do Pastoreio eu confesso que não conhecia. Tinha até uma ideia do enredo, mas ler e ouvir, nunca tive essa oportunidade.

Li e achei extremamente linda e cheia de dramas. Fiquei muito pensativo com o desfecho da história, o que me deixou um pouco triste, vida sofrida a do pequeno pastoreio.

Sozinho ele vivia em uma fazendo com um fazendeiro e seu filho, que eram maus. Ele passa a cuidar dos cavalos e estes somem em uma noite. 

A culpa recai sobre o pobre coitado.

Em sua busca algo muito intrigante acontece.

Achei que o final era feliz e infeliz ao mesmo tempo.

Livro de ilustrações espetaculares.

O livro inclui:
Vamos brincar?
Quem quer brincar? - Pula-sela
Cantando e brincando - escravos de Jó
Vamos cantar? - O meu boi morreu
Parlendas
Para recitar
Enrosca a língua
Adivinhação
Conheça mais sobre o Folclore Brasileiro - Quem acredita no VAQUEIRO MISTERIOSO?
CD com histórias e cantigas.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

LIVRETANDO - A CUCA E SUAS HISTÓRIAS (por Silvia Oberg; Ilustrações [de] Adilson Farias)

OBERG, Silvia. A Cuca e suas histórias. História recontada por Silvia Oberg. Ilustrações [de] Adilson Farias. São Paulo: Folha de São Paulo, 2015. (Coleção Folha Folclore Brasileiro para crianças; v. 4).


Foto: Evandro Jair Duarte

O referencial que tenho da Cuca é aquela do  Sítio do Pica Pau Amarelo do Monteiro Lobato, da versão televisiva da década de 1980. Um jacaré fêmea que morava em uma caverna na floresta e que fazia maldades com os habitantes da floresta e do sítio.

Quando eu assistia ao seriado e a gargalhada da Cuca ressoava na mata, eu já ficava atento para ver o momento exato em que ela iria aparecer.

Para mim ela era um ser mágico e especial no sítio. Ela era a representação de meu medo juvenil e bobo na época. Imagine!!! Eu só assistia televisão na casa de meus amigos, em casa não tinha. Quando chegou uma tv em casa, eu já tinha os meus 10 anos. E tudo era mágico e fantástico.

A Cuca era aquele jacaré que eu tinha medo e raiva por ela fazer tantas maldades com o sapeca Saci e com os pequenos do sítio, além da Tia Anastácia e com Dona Benta e demais.

No livro a autora informa que para uns ela é uma bruxa velha e corcunda, para outros é o próprio bicho-papão, entre outras representações que essa figura mágica assume na oralidade brasileira.

A Cuca e suas histórias está relacionado com as histórias contadas pelo Brasil acerca da figura Cuca, de suas artimanhas. Além de nos levar a pensar nas canções cantadas sobre ela.

Uma boa história, ilustrações maravilhosas, encanta o leitor, divertido esse livro.

O livro contém:
  • Vamos brincar?
  • Para fazer em casa - Bolo Cuca
  • Quem quer brincar? - Quem vai se esconder da Cuca? (Esconde-esconde)
  • Vamos cantar? - Nana neném, que a cuca logo vem...
  • Parlendas
  • Para recitar
  • Enrosca a língua - Língua do Pê
  • Adivinhação
  • Conheça mais sobre o folclore brasileiro - Quem acredita no Bicho-Papão?
  • CD com a história e as canções

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

LIVRETANDO - A MULA-SEM-CABEÇA (por Silvia Oberg; Ilustrações [de] Sidney Meireles)

OBERG, Silvia. A mula-sem-cabeça. História recontada por Silvia Oberg. Ilustrações [de] Sidney Meireles. São Paulo: Folha de São Paulo, 2015. (Coleção Folha Folclore Brasileiro para Crianças; v.3).


Foto: Evandro Jair Duarte


A história da Mula-sem-cabeça é cheia de sabores e habilidades de uma personagem carismática que se torna vítima de uma grande maldade, esta motivada por inveja.

Interessante o quanto uma história inventada pode ser espalhada e recontada e aumentada a bel prazer.

Ainda bem que nem todos dão ouvidos à boatos né?

O livro ainda possui:
- Vamos brincar?
- Para fazer em casa (chapéu de jornal)
- Quem quer brincar? (Barra-manteiga)
- Cantando e brincando (Sinhá Marreca)
- Vamos cantar? (Sambalelê)
- Parlendas
- Para escolher
- Para recitar
- Enroscando a língua
- Adivinhação
- Conheça mais sobre o folclore brasileiro (Quem acredita no Cavalo-de-três-pernas?)
- CD com a história narrada e as canções.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

LIVRETANDO - ESTÉTICA: CONCEITOS-CHAVE EM FILOSOFIA (por Daniel Herwitz)

HERWITZ, Daniel. Estética. Tradução [de] Felipe Rangel Elizalde. Porto Alegre: Artmed, 2010. 200 p. (Coleção conceitos-chave em filosofia).

Um livro que comprei para entender sobre estética e usar em minha dissertação. Ele traz informações acerca da temática sob a ótica da filosofia.

Foto: Evandro Jair Duarte


O conteúdo é filosófico, o que exige leitura atenta e uma parada para a reflexão.

Gostei de ler. Ele me possibilitou entender alguns dos pensamentos de filósofos como Kant (gostei muito), Hume (não está muito de acordo com minha pesquisa - provável não o utilize os pensamentos dele).

Conceitos como o belo, o gosto, o sublime, a estética são interessantes e quero me aprofundar mais nesses temas.

Uma coisa me chama a atenção nesse livro, que para mim a experimentação é uma e para você é outra e não tenho o direito de impor o meu gosto pessoal, a minha visão à você. Posso compartilhar, mas impor não. Cada um precisa experienciar e tirar seus próprios conceitos e suas próprias vivências.

O que é belo para mim é belo para você?
O que é belo?

Muitos questionamentos, muitas dúvidas, muitas interrogações. 

Vale a pena ler para refletir e iniciar um pensamento acerca das questões.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

LIVRETANDO - BUMBA-MEU-BOI (por Crika; ilustração [de] Weberson Santiago)

CRIKA. Bumba-meu-boi. História recontada por Crika. Ilustrações [de] Weberson Santiago. São Paulo: Folha de São Paulo, 2015. (Coleção Folha Folclore Brasileiro para Crianças ; v. 2).

Foto: Evandro Jair Duarte

O segundo livro da coleção folclórica traz a história do Bumba-meu-boi, eu não conhecia esta história e nem tinha noção do que se tratava. Temos em nossas histórias o bumba-meu-boi, o boi bumbá, o boi de mamão, são muitos bois e eu confundia tudo.

Uma narrativa linda e envolvente. As ilustrações são primorosas. Um boi, um casal, um desejo, a consequência, o arrependimento e o retorno.

Achei a história cheia de enlaces e fantasia.

No livro ainda tem:
-Brincadeiras para fazer com sugestões no livro.
-Boizinhos de bucha de banho.
-Brincadeira de Touro com música.
-Canção do Pai Francisco.
-Cantigas de ninar.
-Parlendas.
-Recitar.
-Enrosca a língua.
-Adivinhação.
-Mais folclore. Quem acredita na Onça-boi?
-CD com a história e canções.

sábado, 7 de fevereiro de 2015

LIVRETANDO - O SACI (por Laiz B. Carvalho; ilustrações de Cris Eich)

CARVALHO, Laiz B. O saci. Ilustrações [de] Cris Eich. São Paulo: Folha de São Paulo, 2015 (Coleção Folha Folclore Brasileiro para Crianças; v.1).

Eu assistia à televisão quando vi o anúncio da Folha de São Paulo em que fariam essa coleção e pensei, ótima oportunidade para ter  a coleção de alta qualidade.

Quando vi a propaganda eu curti a ideia de (re)narrarem histórias com as histórias de folclore brasileiro.


Foto: Evandro Jair Duarte

As capas são lindas. As ilustrações de muito bom gosto. São histórias recontadas.

Sem falar que todos os livros juntos formam uma imagem com a ilustração feita na lombada de cada livro. 

Lembram da coleção da Disney, com o Pato Donald, Huguinho, Zezinho, Luizinho e demais personagem? Acho que eram almanaques que cada lombada individual continha uma fração de uma imagem. Ao final, todos as obras juntas formavam a cena de todos os personagens em uma floresta. Amava também.

Veja como ficará a junção de todas as lombadas da coleção folclórica.


Foto: Evandro Jair Duarte

Quando Laiz começa a narrar, ela consegue trazer elementos que todos nós conhecemos e tivemos contato um dia. Um universo de família em um sítio... muito gostoso essa esfera da nostalgia.

O Saci é um sapeca, eu gosto das travessuras dele. Eu fiz até uma viagem ao Sítio do Pica Pau Amarelo (em minha memória - risos).

Ao final da história tem a seção: Vamos brincar?
Esta convida aos leitores a uma proposta de investigação bem divertida.

Tem, também, uma proposta de fazer perna de pau com madeiras; brincar de amarelinha.

Uma canção chamada LATA DE LIXO, outra que é A BARATA DIZ QUE TEM.

Tem parlendas, textos para recitar, enrosca a língua, adivinhação e uma incrível história da MATINTA-PEREIRA (também conhecida como: Mati-Taperê ou Mati-Pererê).

No fim temos um CD que traz as canções e a história do livro narrada. CLAAARO que eu lembrei de minha infância e dos disquinhos de histórias infantis que eu amava ouvir. Fora as fitas K7 que eu era fascinado.

Amei tudo isso!

DIVULGANDO - OFICINA LITERÁRIA BOCA DE LEÃO (Coordenação Claudete Terezinha da Mata)

A Oficina Literária Boca de Leão - OLBL é uma ideia de Claudete Terezinha da Mata e faz parte das atividades permanente da Biblioteca Pública de Santa Catarina - BPSC com o aprovação de projeto encaminhado à presidência da Fundação Catarinense de Cultura - FCC. Claudete é uma voluntária nessa grande e maravilhosa reunião, onde conversamos e escrevemos.

Trata-se de uma oficina de escrita literária e criativa. Todos os membros da comunidade catarinense são bem-vindos. Essa é uma ação pública e para o público em geral.


A OLBL tem investido em um potencial criativo e produtivo de seus membros participantes. Claudete pensou em iniciar com a escrita de contos. Assim, vários contos já foram criados e utilizados em narração de histórias na própria BPSC e em outros lugares onde o grupo já foi divulgar suas produções.

Contos de animais - Contos de assombração - Contos de infância - Contos de encantamento - todas as produções, até aqui foram desenvolvidas para serem apresentadas ao público infantojuvenil.

Com início em 2012 o grupo da OLBL cresceu em número e em qualidade de escrita e de narrativas.

Venha participar da Oficina e criar você mesmo(a) suas histórias!!

Nossos estudos e nossas produções estão sempre começando e recomeçando, para que VOCÊ possa estar conosco!!

Nosso aprendizado está sempre em um início, não estamos nem atrás e nem à frente de VOCÊ que virá se juntar a nós. Estamos sempre em pé de igualdade, venha praticar a escrita e ser criativo(a)!! Aguardamos você!!


Biblioteca Pública de Santa Catarina
Rua Tenente Silveira, 343
Centro - Florianópolis

O nosso primeiro encontro será das 18:00h às 20:00h no setor infantojuvenil da BPSC, do dia 03 de março de 2015.

DIVULGAÇÃO - Oficina - Literatura infantil e ética: formando sujeitos leitores nos anos iniciais

A Paulus está com nova Oficina para os interessados em aprofundamento na temática literatura infantil. MINISTRANTE: INGO VARGAS L...