quinta-feira, 7 de julho de 2016

DISSERTAÇÃO - A DIMENSÃO ESTÉTICA DA COMPETÊNCIA EM INFORMAÇÃO DOS BIBLIOTECÁRIOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA DE SANTA CATARINA (por Evandro Jair Duarte)

Prezados colegas,
convido-os a leitura de um tema super atual e necessário para quem trabalha com o público e com a informação, que é a Competência em Informação e a Dimensão Estética desta competência.

Este é o resumo de minha dissertação:


Objetivei descrever a Dimensão Estética da Competência em Informação apresentada nas vivências profissionais dos bibliotecários da Biblioteca Pública de Santa Catarina. Como forma de atingir este objetivo, pretendi registrar as vivências profissionais dos bibliotecários da Biblioteca Pública de Santa Catarina, assim como perceber na fala dos bibliotecários a compreensão sobre Competência em Informação e investigar na fala dos bibliotecários a interpretação acerca da Dimensão Estética da Competência em Informação. Esta foi uma pesquisa de abordagem qualitativa e fenomenológica do tipo bibliográfico e descritivo. Busquei nos bibliotecários as experiências de vida para descrever a Dimensão Estética da Competência em Informação, o que caracteriza este trabalho como um Estudo de Caso, com oito participantes. Como técnica utilizada para a coleta de dados eu utilizei a entrevista com aplicação de questionário de caracterização e o uso de um roteiro com sete perguntas semiestruturadas para permitir a expressão dos entrevistados sobre as vivências e percepções. Utilizei um diário de campo com registros eletrônicos para anotar impressões obtidas no momento do processo de entrevista. Os dados foram analisados com a aplicação da análise de conteúdo, por meio de categorização dos resultados. Este tipo de análise é qualitativo e permite a inserção da fenomenologia e estética quando aborda a pessoa em seu local de trabalho na busca por compreensão de mundo partindo das falas de pessoas, a sua subjetividade surge para contribuir com os objetivos que são voltados para a compreensão e interpretação acerca das próprias vivências. Como resultados, consegui registrar as vivências dos profissionais e realizei a atividade de perceber nas falas qual a compreensão sobre Competência em Informação que em comparação com a literatura da área tem certa relação com as definições e conceitos das publicações, no entanto, apesar de construírem uma conceituação eu percebi a dificuldade dos bibliotecários em compreender o que é Competência em Informação. De igual forma para a interpretação acerca da Dimensão Estética da Competência em Informação, eles percebem em suas experiências aspectos intrínsecos à Estética, como percepção, sensibilidade e criatividade, mas os reconhecem como sendo uma dimensão estética no agir profissional. Finalizei com a percepção de que os bibliotecários reconhecem o bem coletivo como algo estético e a orientação dos interagentes como a dimensão estética da Competência em Informação, assim como a adaptação de conteúdos para a compreensão daqueles que usam informação para tomada de decisão. Esse foi um trabalho fenomenológico em que nem tudo fica dito com clareza necessitando a percepção do pesquisador para interpretar algumas falas, é um jogo filosófico em que o evidente tem o seu reverso, aquilo que ficou invisível. Assim, lembro o que diz a raposa de O Pequeno Príncipe: O essencial é invisível aos olhos. 

PALAVRAS-CHAVE: 1. Competência em Informação. 2. Dimensão Estética da Competência Informacional. 3. Biblioteca Pública de Santa Catarina. 4. Pesquisa fenomenológica. 5. Bibliotecários. 

Link para leitura do texto completo: Clique aqui.




DIVULGAÇÃO - Encontro com Autor Paulino Júnior na Biblioteca Pública de Santa Catarina

Hoje é dia 16 de maio de 2017 e às 19h estarei Coordenando o Nono Encontro da Oficina Literária Boca de Leão no Auditório da Biblioteca Públ...